Anticoncepção = prevenção de gravidez. Será?

No mundo atual as definições do dicionário nem sempre correspondem 100% a verdade.

Hoje os métodos anticoncepcionais vão muito além da simples prevenção da gravidez, seja para o bem, seja para o mal.

Como escolher seu método? Todos os guias internacionais sobre anticoncepção trazem 4 bases para sua escolha:

  1. Eficácia
    Se você deseja evitar a gravidez nao adianta escolher uma forma de prevenção que gera muitos riscos de falha certo?
    Existe um número, chamado índice de Pearl, nada mais é que a taxa de falha. Quanto menor este número, mais eficaz é o método anticoncepcional.
  2. Segurança
    É o potencial de o método causar riscos a sua saúde. Envolve os efeitos colaterais indesejáveis e suas possíveis complicações. Quanto mais seguro, menor a chance de te trazer algum problema.
  3. Critérios de Elegibilidade
    A Organização mundial de saúde criou uma tabela onde cruza as características de uma pessoa com os riscos de cada método anticoncepcional e gerando uma classificação, que autoriza ou não o uso do método em questão. Não deixa de ser mais um critério de segurança.
  4. Escolha do método pelo paciente
    Cada pessoa deve decidir qual método que melhor se adapta a você. Isso inclui a forma de uso, a presença ou não de hormônios, a praticidade, a segurança, os efeitos colaterais, suas expectativas e seus medos. Você é fundamental na escolha do melhor método. Por este motivo pergunte, tire dúvidas, pense, repense e faça uma escolha consciente.

JOGO RÁPIDO COM OS ANTICONCEPCIONAIS

  • Métodos hormonais orais
    Os mais tradicionais anticoncepcionais são esta classe. São baratos, fáceis de achar. Ponto contra: tem impacto não apenas no ovário mas em diversos sistemas do organismo
  • Anel e adesivo
    Tem características semelhantes aos orais, mas mais práticos. Não necessitam de tomadas diárias. Ponto contra: mais caros que os orais.
  • Laqueadura tubárea
    Considerada uma das principais formas de anticoncepção no Brasil, é uma opção prática e definitiva. Geralmente é feita por laparoscopia, que exige internação de um dia, anestesia geral, e um índice baixo de complicações. Ponto contra: pode aumentar o fluxo sanguineo durante a menstruação.
  • DIU cobre
    Um dos queridinhos para quem quer fugir do hormônio, é uma ótima opção, custo benefício a longo prazo muito baixo. Também pode aumentar o fluxo e as cólicas, reação individual.
  • Mirena (DIU medicado)
    Excelente opção para quem quer parar de menstruar, prático, não tem tanto impacto sistêmico como os orais. Custo-benefício a longo prazo bom.
  • Condom
    Método que deve sempre ser associado aos acima principalmente em que não tem parceiro fixo, pois previne as doenças infecciosas: HIV, hepatite, sífilis, gonorréia, etc…
  • Métodos naturais
    São uma excelente opção pois não interferem em seu organismo, mas exigem disciplina e organização. Ponto contra: pode ter falha pouco superior ao demais.